Receita de geleia de pé de galinha

Não é difícil encontrar relatos de pessoas que sofriam com dores articulares ou câimbras e conseguiram resolver isso consumindo a geleia de pé de galinha.

Inclusive pessoas que sofriam com osteoporose e depois da bênção do colágeno, repetiram os exames apenas para comprovar que haviam se curado.

Muitas dores podem ser resolvidas de forma barata e simples, sem precisar de remédios, sem sobrecarregar o fígado com cargas de químicos.

Porém, muitos costumes vão se perdendo e com a alimentação suja tão frequente hoje em dia, apenas enriquecem as farmácias, que estão de olho em cada esquina.

Antigamente era muito comum o consumo de pés de galinha, principalmente em sopas.

Hoje em dia há um preconceito, uma cara de nojo quando vêem as patinhas de frango.

O Brasil exporta toneladas de pés de galinha em contêiners para a ásia há anos e no entanto, é um produto que muitos torcem o nariz por aqui.

Os pés de galinhas pode ser difícil de serem encontrados em supermercados, justamente por serem destinados à exportação, mas em feiras são mais fáceis de achar.

Procure, pois vale a pena.

Se você tiver sorte e encontrar pés de frango caipira, criado solto, perceberá que são até mais duros na hora de cortar, pois são de animais mais resistentes e nutridos.

Geralmente não sabemos exatamente o que estamos comendo, vamos apenas pelo gosto, quando ingerimos embutidos e processados.

Mas um puro e simples pé de galinha é tão nutritivo e benéfico e mal são procurados nas feiras, açougues e supermercados.

Além de baratos, os pés de frango são riquíssimos em colágeno, tão caros quando compramos nas farmácias.

Vamos à receita de geleia de pé de galinha.

Ingredientes

  • 1 kg de pé de galinha (sem unhas)
  • 2 cebolas com casca
  • 50 gramas de açafrão/cúrcuma
  • 1 colher (de sopa) de sal
  • Pimenta do reino a gosto
  • 4 colheres (de sopa) de vinagre de maçã

Modo de preparo

  1. Corte os pés de galinhas em 2 ou 3 partes para facilitar o cozimento.
  2. Coloque todos os ingredientes na panela de pressão.
  3. Encha com água até chegar a uns 4 dedos de água acima dos ingredientes.
  4. Cozinhe na pressão por 1 hora e meia. Assim que pegar pressão, deixe em fogo baixo.
  5. Depois de cozido, você verá que se quebrarão facilmente. coloque todo o conteúdo da panela no liquidificador e bata bem.
  6. Coe o caldo em uma peneira, de preferência de metal porque o líquido estará muito quente, e ele engrossa conforme esfria. Não é muito fácil peneirar o caldo depois de morno. Sobra bem pouco resíduo.
  7. Adicione em recipientes e congele para ir utilizando aos poucos. Ou coloque em uma forma de assar, depois que esfriar e ficar gelatinosa, corte em cubinhos e leve para congelar numa sacolinha ou pote.

Como comer a geleia de pé de galinha

Além de ser gostoso, para aproveitar melhor os benefícios do colágeno em suas articulações, ossos, pele, cabelo e unhas, consuma duas colheres por dia.

Veja as opções de onde misturar a geleia/patê de pé de frango:

  • Em sopas
  • No cozimento do arroz
  • Preparo de molhos
  • Substituto do caldo de galinha de mercado
  • No pão
  • No café

Como armazenar

Distribua em pequenos potes de plástico, um deve ficar na geladeira e os outros devem ser congelados.

A geleia de pé de galinha dura até 10 dias na geladeira, aí é só ir descongelando os outros potinhos quando o que estiver na geladeira acabar.

Benefícios do patê de pé de frango

Classificada como suplemento alimentar, o caldo concentrado de pé de galinha, que depois de pronto se transforma em uma geleia gelatinosa, traz inúmeros benefícios ao nosso organismo por ser uma fonte de colágeno puro e de cálcio.

O colágeno é uma proteína que ajuda na:

  • Regeneração e cicatrização dos tecidos celulares
  • Combate a flacidez cutânea e muscular
  • Fortalecimento de todas as articulações
  • Fortalece unhas e cabelos
  • Rejuvenesce a pele
  • Fortalece os ossos
  • Favorece a saúde dos olhos

Além dessa receita de geleia de pé de galinha, tão rica em colágeno, você também pode gostar dessa receita de caldo de ossos.

Deixe um comentário